28 setembro 2005

Ah, essa gana de devorar o mundo!

Estava aqui lendo os posts de vocês e pensando nas nossas estranhas relações com comida e na Ione, a felizarda que não gosta de chocolate, mas fuma. Tudo pela boca, não? Aí me dei conta que apreendo muito o mundo pela boca e que quando eu me sinto vazia é comum eu querer encher tudo aquilo com comida - um processo parecido com o da Ana Paula, se é que eu entendi tudo o que vocês escreveram.

Aí me dei conta de que, se eu não pudesse usar a boca, eu perdia meio mundo. Não, sejamos honestas, meio mundo eu já perderia só se me tirassem o dom da fala. Mas se eu ficasse alimentada sem sentir textura e sabor é certo que morreria de depressão em poucos dias.
Na boca, parece que eu tenho um certo tato ao quadrado. Não é incomum, em lojas de tecidos, eu passar disfarçadamente o tecido nos lábios para sentir a textura. Faço o mesmo com livros - existe delírio maior que o toque do papel cuchê no lábio? -, pedras (muitas vezes eu passo a língua mesmo... me refiro, claro, a pedras de anéis e outras bijoux, não pedras achadas no chão), alguns frascos de vidro, cabelo e pele de bebê... Eu não sinto que conheço um bebê se, além de beijar ele muito, eu não sentir o cabelinho e a pelezinha macia com o lábio. Reconhecimento. Não lambo bichos (nem crianças!), mas, às vezes, gosto de sentir o toque do pelo deles nos lábios também.
Nojenta? Porquinha? Será que eu tenho alguma doença? Sei lá, essas coisas para mim sempre foram naturais, mas só hoje pensei nelas. Óbvio que levar alimentos - finalmente algo apropriado, hein? - à boca vai me causar um prazer imenso. Aí junto minha gana por texturas com o deleite do sabor.

Aí, claro, que tive que me lembrar que quando amo um homem eu tenho que reconhecer ele todo com a boca. E quando falo todo, é todo mesmo, inclui lugares bizarros como unha e sola do pé. Até porque eu me lembro mais deles com a boca. Ai, socorro, que papo obssessivo e tarado... hehe.
Mas é verdade. Prendo os cabelos entre os lábios, lambo a nuca, mordo tudo o que é possível, beijo os pés, percorro o corpo com a língua debaixo da água do chuveiro. Beijo na boca? Vixe, me perco - aí posso juntar roçar, lamber, mordiscar, tudo numa coisa só. Ô, delícia.
E, claro, amo sexo oral. Conheço mulheres que têm nojo, juro. Eu respeito. Mas não entendo como se pode ter nojo do cheiro e do gosto daquilo que se deseja, muito menos do que se ama. Se eu não gostar do cheiro de um homem, nem me deito com ele no mesmo espaço. Mas se eu gosto... ah, eu me farto. É quando me sinto comendo, literalmente, deglutindo, digerindo e acolhendo a quem amo. Pegando para mim.
Isso sem falar na sensação de poder que se tem, não digo nas mãos, mas entre os dentes...

Bom, mas deixa eu ir lá comer alguma coisinha e mudar o rumo dessa prosa antes que alguém aqui fique com medo de mim...

6 Comments:

Blogger Thata said...

tão legal isso...antes de terminar de ler o post (mas não só no finalzinho "tarado", mais perto do começo) eu já sabia que era seu! hahaha!

A boca é mesmo nosso primeiro canal de contato com o mundo, lá no comecinho, quando os olhinhos ainda não vêem muita coisa. Não é a toa que continua sendo nossa grande fonte de prazeres, neh...

3:32 PM  
Blogger Léli said...

Sem medo nenhum! Nós somos feitos disso, cheiros, sabores, texturas. E para amar... bem para amar tem que colocar tudo no mesmo espaço, tem que sentir o cheiro, olhar no olho, lamber, colocar na boca, rossar. Concordo contigo Sada, mas há quem possa dizer que tivemos algum problema na fase oral. Será?
beijos

3:33 PM  
Anonymous Carolzinha said...

Jesuis... Tbm tenho essa estranha sensação de levar tudo à boca!!! (qse tudo). Principalmente se é meu Homem... :o)

5:28 PM  
Anonymous lennon said...

papo bão sô!! realmente a boca ajuda muito na percepção do mundo.
e do parceiro(a) tbm. não tenho problema algum com sexo oral, pelo contrário, adoro fazer e deixar que façam.

5:59 PM  
Blogger carole said...

falando em comida, tá ficando apimentado isso!
uh!

9:03 PM  
Blogger Melyanna said...

Esse lugar é o máximo!! Uma essência feminina pura..
enfim, nada melhor que a boca, ela é o primeiro contato, o primeiro olhar já vai direto à ela para explictar o desejo, ou a renúncia, o medo, a dor, tudo a boca demonstra.. e o amor.. ahh, quem não entrega sua boca ao amor, ao desejo, ao prazer, acredito que quem não se entrega à isso ama com menos sentidos, com menores sençações...com menos poder.. rs

Bjs

9:31 AM  

Postar um comentário

<< Home