30 setembro 2005

algumas vírgulas, dois pássaros e uma cabeça fumegante

ninguém sabe os problemas da gente. e nem as delícias. eu tenho problemas, sabe? e delícias também. tem épocas que eu só consigo escrever sobre os problemas, até porque, nas delícias, eu nem lembro de escrever. fazer o quê?, isso é coisa de escritores malditos. no momento, vejam, estou podendo assinar apenas como maldita, porque escritora só quando o livro estiver saindo da gráfica (não concordo, mas a vida é assim mesmo). uma das minhas delícias virou problema. se tinha uma pessoa que era irreparável nas vírgulas, essa era eu. sério. é patético? pode ser, mas eu sou (era?) exímia virgulista, e ai de quem me corrigisse uma vírgula. hoje eu sou a primeira a reler meus textos com uma ruga de preocupação: desaprendi. crase tudo bem, que eu sou uma naba mesmo, mas vírgula, filha, que eu era A melhor, não dá, né?

e eu tenho dois filhos. eles são adotivos, não são da minha raça e, pasmem, não falam. e eu amo eles. e então alguém pode vir e me dizer que tem mega quantidade de criança na rua passando fome e eu dando comida e carinho pros meus pássaros. acontece que eu também vou falar uma coisa bomba e vocês fechem os ouvidos (não, escutem, que eu quero falar). eu considero os animais no mesmo nível que as pessoas. não vejo porque eu "deva amar" mais a uma criança humana que não é do meu sangue que a um outro animal que não é do meu sangue. o princípio de amar é o mesmo. pra mim. e eu amo a Pandy e eu amo o Calvin e trato eles não como crianças humanas, porque crianças humanas precisam de camas e lençóis e passarinhos não. aliás, precisam, mas pra mastigar e brincar e socar na água pra ver que divertido que é. adotar uma criança humana implicaria dar a ela amor, e isso não seria nenhum, mas NENHUM PROBLEMA, porque eu tenho horrores, ó, qué um pouco? mas eu precisaria dar a ela coisas que crianças humanas precisam, como colégio, como um óculos de grau caso ela seja míope, um tênis, roupas, comida de criança, e isso, infelizmente, ainda não tenho condições de dar.

e às pessoas que dizem que é ridículo alguém ter um cachorro de estimação enquanto tem gente na rua passando fome, eu digo duas coisas: nesse sentido, ter um filho enquanto tem crianças IGUAIS, a não ser por não terem teu sangue, na rua, passando fome, é a mesma coisa. e a segunda coisa: tem muita mãe e muito pai que fazem crianças porque não querem evitar fazer, e não se trata de pessoas fazendo filhos pra procriar, com instinto de multiplicação de genes, e nem de gente fazendo filhos porque não sabe evitar. e aí, alguém aí vai dizer alguma coisa? eu faço alguma coisa pra mudar essa situação, o que não quer dizer que eu não ache que seres humanos sejam culpados pela superpopulação de gente morrendo de fome.

eu amo os animais, independente deles serem humanos ou não. é por essa lógica de SALVEM PRIMEIRO OS HUMANOS que o mundo está nesse horror. até porque a) salvem os humanos e o ecossistema em colapso vai fazer o que? destruir os humanos. b) salvem os humanos primeiro? que balela! cadê que a situação humana melhora? em pleno século XXI padres dizendo que seus fiéis devem ter quantos filhos deus lhes der estão salvando os humanos? façavor, se essas pessoas deixam de ter cachorros porque acham que tem muita criança passando fome na rua, por que não pegam uma na rua pra alimentar e cuidar e dar amor e cama e remédio e escola? vamlá, não pegou ainda por que? não querem fazer isso, então por que não se engajam numa campanha de controle de natalidade?

eu continuo, amo meus filhos e não acho frescura de madame não, porque trato eles com respeito, dignidade e carinho, mas se não sou a favor de burguesices pros seres humanos, por que eu daria uma anilha de ouro pra Pandy? só porque ela faz 4 aninhos hoje? não. a Pandora não tinha penas quando achei ela. dei amor, dei comida e água, e ensinei a comer e beber, porque ela se perdeu da mãe biológica antes de aprender tudo isso. eu acordei de madrugada de duas em duas horas pra dar papinha e água, e quando ela ficou doente, pra dar remédio. frescura? eu ia deixar morrer? uma vida? só porque não é um ser humano? se as pessoas que falam isso conhecessem a Pandy, tenho certeza que mudariam de idéia. porque ela me dá muitos beijinhos quando eu volto de viagem, ela dança na minha frente quando quer atenção e ela dorme do meu lado domingo demanhã. Parabéns pra Pandora. Muitos anos de vida, negrinha da mãe.

aham, tou revoltada ainda. a tpm é de verdade desta vez.

7 Comments:

Blogger Ione said...

Também acho uma besteira essa coisa de gente x bicho. Assim... Há espaço para tentar ajudar a todos, plantas, gente, bicho. E todos definitivamente precisam de ajuda.

12:03 PM  
Blogger Lys said...

Clap, clap, clap! A melhor! A melhor! Você pode até ter perdido seus poderes de A Melhor Virgulista (digo PODE porque nunca reparei erro nas suas vírgulas), mas ninguém transcreve melhor as minhas próprias idéias e sentimentos em relação aos animais do que você,Ana.

E parabéns para Pandora!

12:08 PM  
Blogger Samara L. said...

Não tem nada a ver, mas me lembrou, enfim. Talvez pela imposição burra. Minha mãe me perguntou outro dia que tipo de serviço voluntário minha formação permitia fazer. Por que? "Porque já que você não vai ter filhos, alguma coisa pela humanidade tu tens que fazer, né?" Ha.

5:32 PM  
Blogger Melyanna said...

eu concordo plenamente... meu cachorro é um filho para mim, qdo eu o adotei, já o amava, ele me fortalece e me ensina a cada dia...
é graças aos "humanos" que a Terra está neste colapso.. e como ouvi uma vez: " o ser humano não é o único animal que pensa, mas é o único que pensa não ser animal"

Bjs

7:48 AM  
Blogger Thata said...

onn...mas Pandy é tão amável mesmo. E afora minha revolta com cãesinhos de madame (que é em igual proporção à minha revolta com crianças mimadas), também acho que bichos, gente e plantas merecem amor em doses iguais.

7:53 AM  
Anonymous Carolzinha said...

Isso aí!!! Salvem as baleias!!! Acho justo o que vc disse... afinal, vidas são vidas independente da raça, cor, credo ou quantidade de patas, bicos e asas...

9:46 AM  
Blogger carole said...

eu estou numa fase "época de escrever sobre problemas", aliás é só oq eu venho passando ultimamente.
então dizer que "quanto mais eu conheço as pessoas, mais eu amo os animais" está totalmente dentro de contexto. fora, claro, algumas poucas e maravilhosas pessoas q tenho na minha vida.
e parabéns atrasado pra Pandy, q eu acho um nojo e amo de paixão.

9:34 PM  

Postar um comentário

<< Home