08 novembro 2005

o cafuné do Calvin e da Nina

Por que a gente tem que sentir taaaaaaaanto amor por duas bolinhas coloridas destas? eles pipoqueiam o dia todo, têm as perninhas fininhas e os dedos compriiiiidos, e ficam desfiando palha de milho hoooooras, e brigam e se mordem o pé um do outro. eles falam enquanto dormem, fazem barulho de máquina registradora digital. a Nina dorme em qualquer pano que ela encontrar. se ela está caminhando e ... ops... encontra um pano, ela simplesmente se abaixa e dorme ali. ou ela faz SACADAS de pano do lado de fora da casinha dos outros. ela construiu uma rede, onde ela dorme todas as noites, no segundo dia que chegou aqui.

eles têm cheiro de nenê pássaro, e a barriguinha cheira a sementinhas, porque eles agora acham divertido dormir sobre a banheira de comida.

aliás, eles tomam banho toda hora. começam lavando a cara, depois o resto do corpo, até ficarem inteiramente murchos de suas peninhas muito fofas. e o olhar? aquele olho redondo de baby bird, que te olha, faz expressões que te fazem compreender perfeitamente o que querem dizer. o Cal, quando sai da toca dele do computador (parte da minha perna que fica embaixo da mesa do teclado), me olha fixamente como quem diz: "será que dava pra tu não fazer movimentos bruscos que eu quero dormir?". a Nininha não, ainda, porque ela usa batom e blush mas é cagona com seres humanos. ela olha com um olhar assustado de quem quer observar teus movimentos pra fugir assim que der.

mas o espetáculo mesmo fica por conta de olhar os dois interagindo. ele é implicante, e é um gurizinho de menos de 10 anos, ou seja, "ai, que saco as meninas". ela é mimosa, tímida, quietinha, avalia as coisas na calma. ele chega, ventarrão, pegando literalmente no pé dela, ela reclama, mas fica quietinha. aí ele oferece a nuca pra ela enfiar o bico e fazer cafuné. depois faz igual nela, depois dá beijo na bochecha, depois lambe o olho (passarinhos acham isso divertido, e eu fiquei achando que ia ter filhotes cegos antes de compreender que era só lambida, não furada). O Calvin tem um amigo, o papel, que ele achou meio estranho e resolveu levar ele pra comer. ficava lá na banheira de comida "vai, amiguinho, come a sementinha, é bom".

esse momento raro aí da foto foi o pai das pipoquinhas que pegou. quando eles percebem máquina fotográfica, ficam algariados e começam a fazer macaquices, mas esse flagra o Michel conseguiu dar. então essa é a dupla razão (inda tenho uma terceira, a Pandora, que um dia mostro também) de eu parar de escrever sobre violência e cinema e ficar abestalhada olhando uma guriazinha de batom e blush e um gurizinho de pijama de tip-top se fazendo cafuné e conversando enrolado. enfim, um nojo que mal consigo suportar sozinha. por isso vim aqui dividir com vocês.

aqui tem uma foto que a Carole (vó da Nina e do Calvin) postou quando a Nina e o mano dela eram babys depenadinhos. a da direita é a Ninoca, com aquela carucha fofa e curiosa.

10 Comments:

Anonymous michel said...

pois é... tudo filho meu

8:22 AM  
Blogger Carolzinha said...

Realmente os animais me supreendem. Já me peguei várias vezes olhando para as formigas carregando suas PESADAS folhas; olhando para o aquário tentando entender pq todos os meu peixes tinham morrido (só tinha um) e numa água turva existiam milhões de pontinhos pretos. (eram os filhotinhos querendo sobreviver). Virei fish's mamy.
Já me peguei conversando com o canário... Amo animais!!!
Apaixonada!!! Completamente...

1:12 PM  
Blogger carole said...

eu sou suspeita pra fazer qualquer comentário a respeito

mas essa foto ganhou o Premio foto-jornalistico de Nojo do Ano

4:28 PM  
Blogger Lys said...

Oooooon.

Ana, você consegue mantê-los soltos pela casa até com as janelas abertas? Como é isso? Você precisa ficar olhando para onde anda o tempo todo, não? Eu ia morrer de medo de pisar nas criaturinhas!

6:01 AM  
Blogger Ana Paula said...

Misha: tudo filho teu umas pinóia! eu que dei de mamar!
Carolzinha: eu tive peixes. mas ficava muito angustiada de não poder pegar e beijar e abraçar e dar uma cheiradinha neles.
Carole, nojo teus netos, né? e olha que tu não viu poses mais nojas que não foi possível captar com minha câmera caseira.
Lys, as janelas ficam fechadas, por motivos de segurança. quando ao cuidar por onde ando, é isso aí, tenho que cuidar pra não pisar nos tomatinhos. quando eu vejo tem um no meu pé. um nojo total!

6:48 AM  
Blogger Samara L. said...

Ai, Ana, que texto fooooooooofo! E eu, que nunca cheguei a ter essa relação carinhosa com pássaros, fiquei lendo encantada. Amor é coisa que embanana a gente de todo e qualquer jeito, né?

9:33 AM  
Blogger Thata said...

ooooooooooonnn...que queriiidos! q fofinhus! ô ana, mas eles não vão tentar uma relação incestuosa qdo crescerem? ou é esse mesmo o objetivo? e a pandy, hein? oq acha dos pentelhinhos? e qdo vc vai colocar foto dela, aquela coisa mais bonita?

12:28 PM  
Anonymous carecones said...

Eu gosto de animais, mas não me conformo em morar em apartamento, mesmo grande, acho sacanagem com o bichos.
Sonho, um dia, quem sabe, em ter uma casa com uma big duma área externa e daí montar um zoo particular, gato, cachorro, marreco, papagaio, periquito...
Até lá eu fico aqui, com vontade, curtindo a alegria alheia! Parabéns, são lindos!
Abraço.

9:19 AM  
Blogger Carolzinha said...

É verdade Ana. O Peixe a gente só pode ver. Observar... Mas tinha uns meus que davam saltos ornamentais. Qdo me ligava tavam tentando nadar nas pedras da Pia. Uma dó... rssss

11:40 AM  
Blogger Léli said...

Que sobrinhos mais lindinhos! Adorei vê-los por aqui. Descobri que lá fora tem uns que fizeram ninho no galpão e numa casinha que meu mano colocou na frente. Umas graças! Tirando os pardais que costumam tomar banho de areia pertinho da porta da casa. Eu concordo com o carecones, ter bicho em apto. é muito complicado, eu acho. Mas lá podemos ter de um tudo, galinha, pato, marreco, cachorro, gato(ainda não tem mas estamos procurando, gata de preferência), passarinhos de várias espécies soltos pela mata. Acho que é por isso que não me incomodo mais de ir pra lá e não ver gente, além dos meus. O contato com a natureza é barbáro!
Beijo pra todos

3:18 PM  

Postar um comentário

<< Home