21 outubro 2005

testosterona

homens têm testosterona. os níveis dela no corpo influenciam na violência. FATO. a agressividade natural masculina vem daí. claro, muito homem usa isso pro bem, e muitos nem têm tanta agressividade assim, depende dos níveis. muitos homens são sensíveis, mas isso não é da natureza, e sim da personalidade, da criação, da moral e do ambiente, não da natureza. é da natureza do homem ser mais agressivo que a mulher, isso é testado, comprovado e mostrado pela história. não é demérito, nem mérito, apenas constatação. basta, aliás, olhar os papéis em que se exerce violência e agressividade nos últimos séculos. isso não é mero acaso. e mulheres não são violentas (quando o são, sim, podem chegar ao extremo da selvageria, mas não é da natureza feminina) porque têm empatia. MAIS empatia que o ser humano médio tem. isso também é da natureza. força não tem a ver com isso, afinal, violência, em geral, não exige força. eu, por exemplo, posso acabar com a vida de muito homem com uma bolachada no meio da cara, e tem homem que vai precisar de muito esforço pra vir me agredir.

foi provado, inclusive, que quanto menos testosterona o sujeito tinha no sangue, mais voltado para coisas sensíveis ele era, o que prova que a sensibilidade também tem muito a ver com isso. e isso SIM não é demérito ou mérito. homens sensíveis e não sensíveis podem praticar violência ou não, mas os com menos sensibilidade/mais testosterona são os mais voltados pra não empatia e pra agressão.

prestem atenção no que ocorre em volta, e isso não é maniqueísmo meu, nem preconceito e nem ódio aos homens: quem mais GOSTA de objetos de uso para a violência? e quem comanda guerras, batalhões, soldados, grupos de extermínio? quem DECLARA guerras? quem normalmente é assaltante/bandido/estuprador? sim, o próprio estupro é um crime naturalmente de homens. quem eram os coleguinhas de colégio que se envolviam em brigas?

violência, certamente, não é coisa física somente. mas quanto mais forte e maior for a agressão CORRIQUEIRA, maior o envolvimento do dito hormônio. digo corriqueira porque uma mulher pode muito bem humilhar alguém de forma extremamente cruel, ou bater, ou sei lá, mas isso é PONTUAL.

não estou sendo contra os homens, e nem achando que o mal da violência do mundo não tem dedo de mulher. aliás, tem muito de mulher nessa merda aí. porque UMA COISA é tu ser violento e outra é PRATICAR a violência. e nisso a criação, a personalidade, a moral da pessoa TEM MUITO PESO. e nisso mulheres têm culpa. principalmente quando criam seus filhos com a idéia de que homens podem tudo ou são melhores que mulheres. a não é só a Amélia que cria filhos assim. mesmo as modernas mães fazem monstros desse gênero. ou ensinando pontualmente que a violência é a saída, não mostrando que OS OUTROS têm sentimentos e dor. ou, simplesmente, servindo o rei da casa na hora da comida e depois lavando a louça pra ele enquanto ele deita no sofá pra descansar. por isso que eu acho e peço o seguinte: mães de meninos do mundo todo, por favor, sejam humanistas, porque tem muita feminista de carteirinha aí que mostra pros filhos machos que ELE PODE, o resto que se lixe.

19 outubro 2005

Violência é coisa de homem?

Meu Deus-do-céu! Eu assisti a entrevista de uma promotora que falava sobre os crimes passionais. Ela falou algo que me ficou marcado: “os crimes passionais são cometidos mais por homens”. Ela tem um livro que chama-se A Paixão no banco dos réus.
Com toda essa violência entre torcidas organizadas estou começando a achar que violência é do instinto masculino. Eu preferia estar errada, na verdade gostaria que a violência não fosse do instinto de ninguém, que a paz e o amor é que fossem contagiosos.
Estou realmente assustada com toda essa Tsunami que toma conta das ruas e dos estádios. Noutro dia fiquei pasma com a invasão de um estádio onde a seleção brasileira estava treinando. Uma menina ficou sem a cadeira de rodas. O pior é que o treino era beneficente, a entrada era um quilo de alimento não perecível, mas parece que era de graça, que as pessoas não conseguiriam entrar. Soma-se a todo esse desespero para entrar no estádio a desorganização dos responsáveis pelo local.
Mas afinal que desespero é esse? Que ânsia? Pra que tanta violência?
Estou preocupada e fico pensando que não basta um estatuto do desarmamento, é necessária uma revisão do código penal. Na revisão deve-se levar em conta que não adianta dar 200 anos de prisão para um vivente, até porque sabemos que cumprido um terço da pena ele poderá sair e que saindo não sairá recuperado, apenas mais aperfeiçoado na arte do crime, já que nossas instituições penais são o caos. Some-se a isso uma revisão em muitas outras coisas tais como os investimentos em educação, saúde, saneamento básico, segurança e mais uma pá de coisas que acabam afetando a vida destes viventes que optam pelo crime e que acham que o melhor lugar para extravasar suas frustrações é contra o torcedor do time rival.
O Raulzito diz em uma de suas canções que a guerra é um produto da paz. Bem, estamos vivendo numa guerra, tá na hora de pararmos para produzir um pouco de paz, do contrário passaremos a viver mesmo é numa terra de ninguém sem paz, sem amor, sem vida, sem gente.

18 outubro 2005

tics e tacs

dias antes da páscoa mostram as fabricas de chocolate produzindo ovos; no dia dos pais, mostram filhos abraçando seu genitor e no natal nos afogam em imagens de velhinhos de barba branca e risada gorda.
quando chega o horário de verão é a mesma coisa: dias antes entrevistam gente que adora/não gosta de adiantar os ponteiros do relógio e, depois da mudança, mostram gente reclamando que acordar ficou difícil/que é uma beleza pra tomar um choppinho no happy hour ainda com luz do sol.
bom, eu gosto do horário de verão. tá, é difícil acordar cedo, até meu apetite muda nos primeiros dias, mas mesmo assim eu adoro andar na rua as oito da noite e ter a companhia do dia. acho que sou daquelas pessoas que não podem viver em países nórdicos, onde no inverno só tem quatro horas de luz por dia... eu viveria em depressão.

horário de verão pra mim é algo meio mágico, me dá um ar de esperança, me deixa um pouco mais animada, mesmo que eu reclame por estar com sono. tudo parece ficar diferente, melhor.
agora são 19:37 e eu ainda posso ver o sol se pôr.
ô coisa boa.
deixa eu dar uma registradinha aqui: por que nós somos muito mais exigidas que os homens? tudo a gente tem que fazer perfeito, e tudo a gente tem que morrer de estresse pra fazer, porque tudo é tão importante.