21 junho 2006

Suzane tem sete caras, háháhá, hóhóhó ela tem é uma só

Ps.: Aqui o PS vem antes. Queria esclarecer que não entendo nada de psicologia e as coisas que escrevi são baseadas una entrevista do Terra e com base na opinião das pessoas, das coisas que "oiço" e vejo pelas ruas, nas filas. A população acha que ela, a suzane, está impune e que sendo ela filha das vítimas e possível mente criminosa, ela é MAIS culpada que os Cravinhos. É isso! Por favor comentem e visitam o Imprensa Marrom também.

Besitos!

De acordo com os promotores do caso de duplo homicídio do casal Von Richthofen, Roberto Tardelli e Nadir de Campus Júnior, a jovem Suzane tem sete caras. Como todos sabem ela, junto com o ex-namorado Daniel e com o irmão dele Cristian Cravinhos, foi acusada de assassinar os pais dela. Uma jovem de 22 anos, estudante de Direito não pode ser considerada uma completa idiota. Existe um problema de caráter sério em sua personalidade. Aliás, dizem que caráter ou a pessoa tem ou não tem. Caso ela fosse apenas uma vítima de todas as coisas das quais hoje ela acusa o ex-namorado e sua família, não estaria realmente envolvida no brutal assassinato dos SEUS pais, teria logo aberto o jogo dizendo quem havia planejado, quem havia executado o plano. Mas não, depois de tanto tempo é aos poucos que ela vai revelando os acontecimentos, sempre na intenção de retirar a culpa que cai sobre seus ombros. Seu interesse, embora os advogados de defesa digam que não, era a herança que receberia depois da morte dos genitores.
Os promotores dizem que dia a dia a moça vem apresentando suas faces, tal qual o próprio doutor Lau, com suas cem. Conforme eles a primeira foi de “jovem racista” chegando a insinuar que ex-empregados da família estariam envolvidos nas mortes. Depois apresentou a face de “drogada” afirmando ter sido viciada pelo ex em maconha. A terceira foi apresentada em cadeia nacional através do programa Fantástico, a “menina doce”. E cada cara que Suzane apresenta vai mostrando mesmo qual é a sua única e mais monstruosa. Porque na quarta versão da personagem ela vem como possível “vítima de abuso sexual” acusando seu pai Manfred como abusador e tentando demonstrar que é uma pessoa que não tem condições de responder juridicamente pelos seus atos. A sexta acusa Astrogildo Cravinhos, pai de seus cúmplices, de ser a mente por trás do crime. Para Tardelli e Campus Júnior a sétima será a que seus defensores apresentarão ao júri como uma menina que não suportava os casos extraconjugais dos pais.
Mas todas estas podem se resumir numa só, na verdadeira e única Suzane Von Richthofen, uma pessoa má, muito doente, porque uma mente saudável não é capaz, mesmo que manipulada, de se envolver – ou se deixar envolver - no assassinato dos próprios pais. Demonstra ser uma pessoa fria e calculista que chora pelos seus e cresce o olho para a herança, que acusa inocentes, que se diz drogadita, que vai a programas de televisão, da maior rede do país, para dar uma entrevista forjada fazendo se passar por uma “pobre menina rica”. Mas estas todas não são pior do que a capacidade de insinuar que seu pai abusou sexualmente dela. Agora, hoje, quando nem pai nem mãe podem dizer nada ela coloca na “roda” os possíveis casos extraconjugais. E se diz, para completar, uma marionete nas mãos da família Cravinhos. Pobre deles, não sabiam que eles é que seriam manipulados, afinal de contas, quem está em prisão carcerária e pagando pelo seu crime, mesmo antes do julgamento? Ao contrário da filha que permitiu que matassem seus pais que está em prisão domiciliar e já esteve solta nas ruas vivendo livremente sem se quer ter sido julgada.
Uma pessoa como a Suzane realmente não pode ser tratada como uma pessoa qualquer. Ela não é uma pessoa qualquer é alguém que merece respeito, aliás, acho que deveriam colocar um aviso de perigo nela. Sou contra hospitais psiquiátricos, mas no caso de Suzane sou a favor da internação porque se ela atuou da forma como atuou contra os pais, como dizer que ela não representa perigo para a sociedade? Não, ela não tem sete caras, ela é como a dona baratinha, ela tem é uma só.